Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Ó Mãe, não posso...

Ia eu a sair da escola quando encontro a mãe de um ex-aluno e de um aluno meu. Tinha ido buscar as crianças. Ela é uma mãe hiperactiva, sempre bem disposta e com muita energia. E é muito engraçada também. Acabamos sempre por dar dois dedos de conversa. Hoje esteve a contar-me as peripécias dos seus dois "tesouros" e que eu vou reportar aqui.

 

Mãe: Despacha-te que temos de ir buscar o mano para ir para a natação...

 

Filho 1: Ó mãe hoje não posso ir à natação.

 

Mãe: Não podes? Porquê?

 

Filho 1: Porque me dói um pé...

 

Mãe: Mas isso não é motivo para não ires... Bom, logo se vê! Despacha-te!

 

Filho 1: Não posso ficar aqui na escola a jogar à bola enquanto vais buscar o mano?

 

Mãe: {#emotions_dlg.mad}

{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}

Mãe: Tens tudo contigo? Despacha-te para irmos para a natação!

 

Filho 2: Ó mãe não me apetece ir à natação...

 

Mãe: Nem penses que vais faltar... tu queres é ir para o facebook...

 

Filho 2: Ó mãe não posso mesmo ir à natação...

 

Mãe: Porquê?

 

Filho 2: Porque estou picado das melgas...

 

Mãe: Ah pois é! Tens toda a razão... Temos de ir explicar ao professor que as picadelas te afectaram os músculos dos braços, ficaram inchados e não podes fazer natação porque os braços parecem bóias...

 

Filho 2: {#emotions_dlg.angel}

 

Opá estas mães modernas não percebem nada disto. Então não sabem que o cloro faz reacção com as picadelas e os filhos se transformam em seres verdes marinhos? E não sabem que quando temos uma dor no pé, a água da piscina transforma-o numa barbatana? Ó Mãe... era só esta vez! :))))

De volta à selva...

 

Parece que as "férias" já acabaram. Sim, férias mesmo entre aspas porque ao contrário do que se pensa, os dias livres - é mais simpático dizer assim - foram apenas quatro. Aproveitei para dormir mais um bocadinho que era o que me estava a fazer falta. Andava com o cérebro bastante cansado. Não é que me tenha chegado mas foi o que se pode arranjar.

 

Vou começar hoje mais uma etapa escolar e começo logo na Pinguinolândia. Vamos lá ver o que elas vão arranjar para me chatear a massa cinzenta. A mim e aos outros! Se fosse na outra escola, o ânimo era diferente, porque é sempre. Não existe a carga negativa da bestialidade de quem manda nem dos castigos excessivos das crianças.

 

Vamos lá ver como vai correr este dia. Wish me luck!

Estou chateada!

Pois é. Estou chateada. Estou farta de procurar e não encontro o raio dos meus alicates. E agora perguntam vocês "Alicates? Para que queres alicates?" Não é para cortar as cutículas das unhas. Desses sei eu!

 

Ora, eu sou uma moça muito habilidosa - modéstia à parte - para as artes manuais, que adoro fazer. Por isso, andei a comprar peças de bijuteria para fazer uns colares e anéis lindos de morrer, quiçá fenomenais até... {#emotions_dlg.sarcastic} Mas a questão é, onde foram parar os meus alicates de cortar, dobrar, etc.? Será que foram abarbatados pelo meu irmão? é que, por acaso, não os encontro em lado nenhum. Já perguntei ao Bóbi se tinha sido ele a rapiná-losmas eles respondeu-me que não, que eram muito duros para roer...

 

Significa isto que tou feita ao bife: ou compro outros alicates daqueles e não me apetecia nada gastar dinheiro ou não faço a minha bijuteria... e tinha tanta vontadinha...! {#emotions_dlg.sidemouth}

Completamente arrasada.

Pois é mesmo assim que me sinto: completamente arrasada. Estou sem força, alento ou ânimo para fazer seja o que for.

 

Tenho estado o dia todo com dor de cabeça que culminou, ao fim do dia, numa enxaqueca. Acabei por me mandar para cima da minha cama, fechar os olhos e dormitar um bocado, às escuras e em silêncio. Melhorei um pouco.

 

Mas eu até sei o motivo disto tudo. O culminar da semana das avaliações - com o stress e nervos que lhe estão inerentes -, noites mal dormidas, aquela fase do mês e a odisseia de ontem com o telemóvel, deu nisto. Em vez de ter começado a semana de forma calma, não. Foi aquela correria até à escola, os nervos de não saber se iria encontrar o telemóvel, a seca de uma hora sentada no muro até ficar com o backside quadrado e depois o chegar a casa de transportes.

 

Assim que chego a casa, começa uma chuva e uma trovoada...! Ao subir a rua, já vinha de chapéu de chuva aberto mas quando entrei em casa, desabou o céu. A rua parecia um rio com tanta água e eu, se já não estava bem, ainda pior me fiquei a sentir.

 

Não sei se vos acontece o mesmo, mas a pressão atmosférica e dias como o de ontem, afectam-me sobremaneira a minha cabeça. Parece que tenho excesso de electricidade cerebral e não me sinto nada bem: fico mal disposta, com dor de cabeça e com sensação de náusea.

 

Em resumo, foi um dia para riscar do mapa de férias. Literalmente!

Um mau dia para perdê-lo.

Mais uma semana, mais uma segunda-feira. Agenda para hoje: reunião geral seguida de almoço.

 

Depois de uma noite mal dormida, levantei-me cedo, preparei-me e fui para a reunião devidamente equipada, que é como quem diz com caneta, caderno e... máquina fotográfica... just in case! :)

 

Tratados os assuntos da alma, isto é, da reunião, fomos tratar de assuntos do corpo, ou seja, fomos tratar de rechear o estômago. A não ser dois dissidentes, todos fomos degustar um belo Cozido à Portuguesa (mas faça-se jus à minha mãe, o dela é faraway better a million times!!!).

 

Depois dos assuntos internos tratados, foi sugerido que se fosse a algum lado. A ideia até era boa. Mas onde? Decidiram ir jogar matrecos. Thanks, but no thanks! Não desgosto mas não é a minha onda e tinha coisas muito melhores para fazer. Aproveitei a boleia de uma auxiliar que, por acaso, até mora mais acima de mim e que me poupou uma hora em trajectos de autocarros, e vim para casa.

 

Vinha cheia de calor e começei a "desequipar-me". pronta para relaxar um pouco. Tiro a minha garrafa de água da mala e jogo a mão à bolsinha do telemóvel para o tirar da mala. Hã? Onde está? Vasculhei a mala, virei o forro do avesso, procurei nos bolsos e nada! Ai a minha vida...!!! Liguei para o meu telemóvel, ainda assim não estivesse em silêncio. Nada de tremeliques... Onde estaria o raio do telemóvel?!

 

Refiz todo os meus percursos, revi todas as vezes que mexi na mala e no telemóvel e cheguei à conclusão que roubado não tinha sido. Tinha uma certeza de 99.9%. É que se o tivesse sido, já estaria desligado há muito. Mas onde estaria? Só poderia estar na escola ou no restaurante.

 

Voltei a "equipar-me", peguei na mala e rumei à escola. Antes de chegar à escola, entrei no restaurante. Nada tinha sido aí encontrado. Também achei que não seria, já que a mala tinha ficado entalada entre a minha cadeira e a parede e com os fechos virados para mim.

Dirigi-me à escola. Assim que lá chego vejo a Dona J. sentada no muro. Esquisito. Ela chama-me "ó Ticha...!" e eu vou até junto dela. Explica-me, então, que estava ali sentada porque ia entrar às 3 horas mas que não estava ninguém na escola. A Dona T. tinha saído mais cedo e como a Dona J. tinha chaves mas não sabia desligar o alarme novo, ficou sentada no muro à espera que alguém chegasse. É que ninguém lhe disse que, hoje, não haveria crianças na escola, só a reunião.

 

Resultado: sentei-me no muro com a Dona J. à espera que viessem as outras duas senhoras da limpeza que entravam às 5.30h. Fez sol, fez chuva, sentei-me, levantei-me, andei para trás e para a frente e nisto se passou uma hora. Passava toda a gente por ali menos quem devia. E eu, dos nervos, já só me estavam a passar coisas parvas pela cabeça: quem passasse, havia de pensar que estávamos ali as duas ao "ataque", à espera que surgisse algum príncipe desencantado...lol.

 

Finalmente, chegam as outras duas senhoras da limpeza! Portão aberto, alarme desactivado e voei até à sala da reunião. Bolas! Porta fechada à chave. Corri até ao chaveiro e num estalar de dedos fiquei ao pé da porta já com a chave na mão. Benzi-me, enfiei a chave na porta, abri-a e olhei para o sítio onde tinham estado as minhas coisas e... lá estava o meu belo telefoninho, pobre e abandonado!

 

Peguei nele, fechei tudo e desci as escadas eufórica! Peguei na minha mala, desejei Boa Páscoa a todas e vim para casa. Perdi um dia inteiro com isto mas, no fim, acabou tudo bem. Só é pena a chuva e trovoada que tem estado a cair...

 

 

 

Digam lá que o Cozido à Portuguesa não tinha bom aspecto...! :)))

Desassossego Cerebral:Template Novo!

Hoje já não tive reuniões. As avaliações foram feitas e entregues. Podia ter optado por ter ficado a curtir um "dolce fare niente" neste dia quente mas não. Como esta cabeça não pode perder o ritmo e não pára nem um segundo, tinha de arranjar "sarna para me coçar", como se costuma dizer.

 

Poderia ter feito mil e uma coisas mas de entre essas mil e uma coisas, escolhi a "uma". Esta ansiedade cerebral e digital, levaram-me a voltar a fazer um novo template aqui para o meu espacinho. Desta vez, apeteceu-me dar-lhe um ar "clean", minimalista e relaxante. Sem grandes enfeites ou pormenores. Estamos na primavera e o meu espírito pede-me algo calmo, com cheiro a flores e leve para os olhos.

 

Espero que gostem tanto como eu! {#emotions_dlg.sarcastic}

E quem disse que não é bom?

E quem é que não gosta de receber? E de dar? Não estou a falar de presentes. Estou a falar de beijos! Hoje é o Dia Mundial do Beijo! É o dia dos afectos, do carinho da partilha de algo único e pessoal. Já beijei e fui beijada hoje. Pelos meus meninos e pelo meu Bóbi. E eu retribui. Só me falta dar o meu melhor beijo ao meu N. Mas hoje, só à distância. Lá terei de me vingar no fim-de-semana! Hihihi!

 

 

 Aqui vai uma beijoca para vocês também... chuac!{#emotions_dlg.lips}

Que coisa arrepiante!

Quando nos sentimos muito stressados, a precisar de descanso e técnicas de relaxe, muitas vezes recorremos a práticas alternativas como o ioga. E assim que mencionamos esta palavra, o que nos acorre imediatamente à mente? Calma, paz, serenidade tanto física como psicologicamente. Devo dizer que nunca pratiquei mas já fiz alguns exercícios com uma colega minha. É como um emanar e captar de energias positivas, um conforto e um bem-estar que se instala em nós. Portanto, de arrepiante, não tem nada.

 

Já me tinham falado de ioga para bebés, o que me pareceu óptimo, mas entretanto ouvi falar de que circulava na net um vídeo horrível com ioga para bebés. Na altura não fui logo procurar para ver e, com tantos afazeres, nunca mais me lembrei de tal coisa.

Hoje à hora do jantar vi o tal vídeo no telejornal da SIC.

 

Vejam lá vocês e digam-me o que acham...

 

 

Quando vi isto fiquei completamente arrepiada. Ainda "espremi" os olhos para confirmar que o que estava nas mãos da mulher era mesmo um bebé e não um boneco. E é mesmo um bebé.

 

Ora eu que, por acaso até não sou mãe, sei que os bebés não deverão fazer este tipo de movimentos pois podem ter lesões e fracturas graves nos seus pequenos corpinhos e que os seus cérebros podem sofrer lesões muito graves com aquele "rodar" pelos ares e de cabeça para baixo 

E não sou só eu que digo isto, pois a minha opinião vale o que vale. Basta ouvir a opinião do pessoal de saúde para confirmarmos que os bebés não devem ser tratados assim.

 

Só vos digo que este vídeo é completamente incrível. Pelo lado negativo.

 

 

 

Pág. 1/2